quarta-feira, 13 de abril de 2016

Madoka Magica, uma obra que jamais deve ser subestimada por sua aparência

Não se deixe enganar pela doçura destas garotas

Se tem um código de ética que sempre carrego comigo como blogueiro (e como palestrante em eventos de anime) é jamais julgar uma obra sem ao menos assistir ou sequer acompanhá-la. Considero um pecado mortal e gravíssimo, principalmente no meio otaku (animes, tokusatsu, etc). Já vi muita gente por aí dizendo que não consegue assistir Puella Magi Madoka Magica por "parecer bobo" e por ter "traços feios". Bem, pra eles digo na boa um simples: "Meus pêsames. Estão perdendo um dos melhores animes dos últimos anos". A verdade mesmo é que quem fica de julgar pela aparência acaba perdendo a oportunidade de analisar conteúdo e apreciar uma boa história. É o mesmo que julgar um livro pela sua capa.

Sou um tanto suspeito pra falar deste anime. Volta e meia sempre revejo e não escondo que se tornou um das minhas séries favoritas, apesar de não ser lá um grande fã do estilo mahou shoujo (garotas mágicas). É uma obra que leva o espectador para um, digamos, submundo onde as heroínas travam contra seus próprios dilemas pessoais numa visão sombria.

Madoka Magica se passa numa fictícia cidade Mitakihara e foca na estudante Madoka Kaname, de 14 aninhos. Um dia ela encontra uma criatura chamada Kyubey (leia: quiúbi) que lhe oferece um contrato para se tornar uma garota mágica e lutar contra monstros que estão distorcendo a realidade. Madoka conta com a ajuda de sua amiga Sayaka Miki e logo as duas são auxiliadas por Mami Tomoe e mais tarde por Kyoko Sakura. Em contrapartida, surge logo nos primeiros episódios a garota Homura Akemi, que é diferente das demais heroínas e guarda um segredo de seu passado. 

Com alta carga dramática, Madoka Magica surpreende ao desenrolar da trama com revelações e reviravoltas que mexem o rumo da história. A reta final é aparentemente confusa, mas é o ponto-chave que liga os eventos da série. Impossível não fica preso a tela e parar de assistir.

Produzido pela Aniplex em parceria da empresa Shaft, Madoka Magica contou com o roteiro de Gen Urobuchi (o mesmo do tokusatsu Kamen Rider Gaim), direção de Akiyuki Shinbo (que esteve envolvido nos storyboards do anime YuYu Hakusho) e arte da character designer Ume AokiO anime possui 12 episódios e estreou no canal MBS em 7 de janeiro de 2011, sempre nas madrugadas de quinta para sexta da temporada de inverno daquele ano. Devido ao terremoto de Tôhoku e tsunami em 11 de março do mesmo ano, os últimos dois episódios foram exibidos em 21 de abril. Seis semanas após o ocorrido.

O título rendeu vários títulos em mangás (algumas publicadas no Brasil pela Editora NewPop), uma série de novels, dois games para Playstation e mais uma trilogia nos cinemas. Além disso, a série de TV foi um sucesso de vendas em Blu-ray, onde foram vendidas mais de 50 mil cópias cada volume. Ganhou vários prêmios como o Newtype Anime Awards, por exemplo.

Madoka Magica estreou no Brasil em 29 de março de 2014 via streaming pela Netflix. Se você ainda não assistiu, fica a dica do blog para fazer umas trocentas maratonas e entenda a magia deste maravilhosa anime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário